(11) 4858-3900 (11) 4858-3900
WeDo
WeDo

Caixa e Sebrae oferecem R$ 12 bi em crédito para PMEs

A Caixa Econômica Federal o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) oferecerão créditos para Pequenas e Médias Empresas e micro empreendedores individuais (MEI) por um valor de R$ 12 bilhões.

O anúncio por parte da Caixa e do Sebrae sobre a ampliação da linha de crédito, cujo objetivo é ajudar as empresas com seu capita de giro, será realizado na segunda-feira (20).

Esse financiamento faz parte do conjunto de medidas lançado pelo governo federal para fazer frente a crise econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus (covid-19).

Serão contempladas empresas com um faturamento anual entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões por ano. Entretanto, microempreendedores individuais, com faturamento de até R$ 81 mil, e microempresas, com faturamento até R$ 360 mil, não poderão beneficiar dos recursos.

Para alimentar esse montante serão utilizados recursos do Fundo de Aval para as Micro e Pequenas Empresas (Fampe), fundo garantidor do Sebrae, por um valor de até R$ 1 bilhão. Por sua vez, a Caixa irá alavancar esse valor em até 12 vezes.

Essa operação foi possível graças a uma negociação com o Ministério da Economia, que permitiu a publicação de uma medida provisória (MP) no começo e abril salvando o Sebrae do contingenciamento de 50% nas contribuições do Sistema S.

Por sua vez, o Sebrae se comprometeu a utilizar esses recursos para reforçar o Fampe, dobrando de tamanho ao fundo, que ganhou R$ 500 milhões. Com isso, será possível oferecer uma garantia às operações e possibilitar a oferta de crédito com condições mais vantajosas às empresas.

Caixa lança linha de crédito imobiliário contra a crise

Essa inciativa não é a primeira da Caixa Econômica Federal para tentar reduzir o impacto da crise na economia brasileira. No começo de abril, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, anunciou que o banco estatal deverá injetar R$ 43 bilhões na economia brasileira com novas linhas de crédito imobiliário. De acordo com Guimarães, 530 mil novas unidades habitacionais poderão ser construídas com a medida.

A Caixa já tinha anunciado, recentemente, R$ 111 bilhões em crédito para pessoa física e jurídica, hospitais e os setores agrícola e imobiliário. Com a nova linha de crédito anunciada nesta quinta, o total destinado ao segmento ficará em R$ 154 bilhões.

“Esta medida é muito importante porque permite que as empresas continuem trabalhando normalmente, tanto empresas pequenas, quanto médias e grandes”, disse Guimarães sobre as linhas de crédito.

Ainda de acordo com Guimarães, caso a crise em decorrência da pandemia de coronavírus seja alongada, a Caixa poderá atuar mais vezes na ampliação das linhas de crédito. “Entendemos que com isso manteremos 1,2 milhão de empregos”, afirmou o executivo.

A Caixa anunciou também que os contratos de crédito imobiliário que forem financiados a partir da próxima segunda-feira (13) irão ter carência de seis meses para pagamento. Durante o período, não será necessário que as pessoas físicas paguem as parcelas.

O presidente da Caixa disse que a medida de carência de seis meses, que será tanto para pessoas físicas quanto para empresas, foi feita também para que não aconteçam mais desequilíbrios na economia. “Compra-se um imóvel hoje e se faz o pagamento no sétimo mês. Isso nunca aconteceu e reforça o equilíbrio entre o problema de saúde e da economia”, explicou Guimarães.

Os contratos imobiliários antigos, porém, continuam com o prazo de até 3 meses de carência. Entretanto, segundo o presidente da Caixa, o prazo pode ser alongado para quatro meses conforme o andar da crise.

 


Fonte: Suno

20 abr. 2020